Ele não faz sexo oral em mim. O que fazer?

É mgeis_comestiveisaior do que se imagina o número de homens que se recusam a praticar sexo oral na parceira. Além de pesquisas que apontam o dado, a sexóloga e terapeuta sexual Lelah Monteiro atesta que a situação é recorrente em consultório.

“O que vejo é que muitos têm um tabu religioso ou cultural muito grande em relação ao sexo oral. Outros têm medo de contrair uma doença sexualmente transmissível. Há ainda os que acham que a vagina é suja, tem um cheiro incômodo ou é muito úmida. E também os homens que acreditam que o sexo oral serve apenas para lubrificar a mulher e o fazem de maneira rápida, sem vontade”, lista a profissional.

Se para algumas mulheres receber sexo oral é algo incômodo, para outras, é essencial. Muitas, inclusive, só conseguem atingir o orgasmo através da carícia. Ainda assim, é comum que a parceira sinta vergonha de conversar abertamente sobre isso com o companheiro e pedir para que ele pratique a preliminar.

Como demonstrar que quero

Se você não se sente confortável para dizer expressamente ao seu parceiro que deseja que ele pratique sexo oral em você, Lelah afirma que há meios mais sutis de deixar isso claro.

“Você pode fazer brincadeiras com produtos comestíveis, como géis e lubrificantes com sabor, chantilly, caldas, morangos, etc. Há muitas opções, e você encontra até mesmo em farmácias. Passe você mesma no seu corpo durante as preliminares e coloque o produto na virilha e vulva para que ele lamba. Começa a ser uma brincadeira e, assim, você mostra o quanto está gostando e o incentiva a repetir o movimento das próximas vezes”, indica a especialista.

Outro jeito de demonstrar que você quer é fazendo sexo oral nele. Isso porque, no sexo, muitas vezes presumimos que o que o outro faz é o que quer que façamos também. Se você nunca pratica sexo oral no parceiro, talvez ele pense que você também não gosta de receber – apesar de este ser um cenário improvável.

Caso seja uma transa casual e vocês não se conheçam muito bem, pode ser que ambos fiquem inseguros de realizar a prática, já que não sabem como são os hábitos de higiene do outro e, por isso, correm o risco de se deparar com um odor desagradável. Neste caso, Lelah sugere que o casal tome um banho junto antes de iniciar a relação, como uma forma não só de garantir que a situação esteja agradável para ambos, mas também de criar um clima sensual.

Como conversar sobre isso

Caso os sinais sutis não funcionem, ou você se sinta segura para falar sobre o assunto, o primeiro passo é pedir, durante o sexo, para que ele realize a prática. Se ele se recusar ou fingir que não ouviu, é hora de dizer abertamente o que está incomodando.

Lembre-se que a comunicação é a base de qualquer relacionamento, e é necessário que os dois possam dizer sem medo o que esperam do outro. Pergunte ao seu parceiro qual é o problema e explique que o sexo oral é uma parte importante da relação para você. Caso a resistência dele seja causada por crenças religiosas, vocês precisam conversar sobre isso e alinhar os pontos.

E se mesmo assim ele não fizer?

Mesmo se, após o diálogo, o parceiro se recusar a fazer sexo oral, a sexóloga aconselha que o casal procure ajuda profissional para tentar resolver o impasse. “O terapeuta fará com que um escute o lado do outro, intermediando essa fala, que é uma questão difícil de verbalizar”, explica.

“Se a relação fora da cama for boa, vale a pena recorrer a essa alternativa”, diz. Porém, caso a relação seja ruim fora da cama e o sexo seja apenas um reflexo disso, a especialista sugere que talvez seja o caso de considerar o fim do relacionamento.

Fonte: bolsademulher.com
Tags:, , , , , , ,